Embarcamos num “vaporetto” e visitamos as ilhas mais famosas: Murano, Burano, Torcello. Mas não podemos esquecer as ilhas menores: são Clemente, são Lazaro, são Servolo Certosa, são Erasmo y Pellestrina.

Neste percurso não só nos deleitaremos com as observações etnográficas e as diversas paisagens, também poderemos apreciar o coração histórico, artístico e popular do norte da lagoa, que se revela ao visitante em seus múltiplos aspectos e refletem uma realidade contraditória mas interessante.

Esta é uma experiência evocativa, viver por um dia inteiro a cotidianidade das ilhas, sem pressa, com a mente disposta ao descobrimento e o assombro que provoca a beleza da natureza e os rastros da história da qual a parte norte da lagoa tem sido testemunha.

Murano

Em comparação com sua “irmã” parece uma cidade pequena, com suas ilhas unidas por uma rede de pontes e canais. Aqui se vive a arte e o oficio tradicional da fabricação do vidro, que resiste ao mundo globalizado.

Os mestres continuam a esticar, manualmente, formosos vasos de cristal, copos e lâmpadas. Muitas das fabricas de vidro destinadas ao longo das estações dos fornos “fornace”, estão abertas a manifestações publicas, e é possível adquirir seus produtos manufaturados com os estilos tanto tradicional quanto rococó veneziano, que se misturam harmonicamente com a projeção contemporânea de grandes nomes do design de móveis.

Se você quiser visitar uma vidraria e os formos “fornace”, isto é possível no horário de trabalho semanal.

Os fornos funcionam de maneira contínua, porém o mehlor momento para fazer este fascinante percorrido é nas horas de manhã. É importante seguir as indicações do nosso guia nos fornos “fornace”, para que a nossa visita não interfira no trabalho dos artistas e artesãos que não descansam um minuto para criar estas magníficas obras de arte. Lâmpadas, copos, esculturas e muitas outras surpresas diante dos nossos olhos.

Outra joia de Murano é a Basílica de Santa Maria y São Donado, do século VII. Caracterizada por seus esplêndido mosaicos, que encontraremos quando a percorramos, baixo dos nossos pés, como pássaros exóticos, figuras mitológicas e símbolos criados com fragmentos de vidros de Murano, provindos dos fornos locais.

Por outro lado, na igreja renascentista de São Pedro e Mártires, encontraremos frescos dos importantes pintores o “Veronese” e Giovanni Bellini.

Burano

Uma pequena Veneza em miniatura e em versão popular, caracterizada por suas casas tradicionais pintadas com cores fortes. A atmosfera de suas ruas permanece tranqüila e despejada, como o foi há muitos anos, e contrasta com a pitoresca e viva ilha dos pescadores. Ainda hoje a ilhamantem intactos seus ritmos, tradições e tons.

Uma explosão de cores bate no visitante que não passou antes por aqui.

Tal vez se encontrará com as situações típicas da cidade, como a idosa sentada na frente da porta da sua casa tecendo uma toalha de mesa com bordados.

Enquanto os homens pescavam, as mulheres trabalhavam nos brodados, para ajudar a manter a família. De fato, foram as mulheres com seus trabalhos manufaturados de tecidos, quem sustentaram a economia da sociedade local no período particularmente desafortunado da história da atividade pesqueira.

Torcello

A ilha que alguma vez fora a capital da lagoa do norte, tem, na atualidade, um número de habitantes que se podem contar com os dedos da mão. Te surpreenderá. Oferece-se rústica e desolada ao visitante. Umas poucas casas isoladas, com seus telhados cobertos pela natureza selvagem, jardins perdidos, que no final são a única direção de uma presença remota nos olhos humanos de aqueles que, no silencio absorto deste lugar quase desértico, tentam de recriar barulhentamente uma cidade litorânea e portuária.

Quem chega até aqui da um passo no passado, quase 15 séculos entes, abre a primeira página do livro da história viva de Veneza, pois foi nesta ilha, localizada no nordeste da lagoa, onde se refugiaram no ano 638 d.C. os habitantes da terra de Atino que fugiram dos bárbaros: a lagoa esteve protegida por pântanos criados das ilhas povoadas por novas civilizações de pescadores e comerciantes.

Em Torcello encontraremos a primeira basílica construída na Veneza, a grande basílica de Santa Assunção, de estilo romana-bizantina. Uma igreja ao lado de uma catedral nos faz compreender a importância desta ilha num importante momento histórico. Por um longo período Torcello foi o único lugar de Veneza, um museu ao ar livre. Quando a ilha foi abandonada, os materiais de construção foram asuados na criação da Veneza que hoje conhecemos. Mas garanto que, se tivermos a sorte de caminhar pela Torcello com poucos visitantes, será uma experiência incrível.

Duração da excursão: 6/8 horas

Preço: € 300,00 por pessoa, a partir de 1-6 pessoas

Não incluso no preço:

Barcos (vaporetto) diários

Entrada á Catedral de Santa María da Assunção, € 7